"PORQUE ONDE ESTIVER O TEU TESOURO, ALI ESTARÁ O TEU CORAÇÃO". Mt 6,21

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

A Igreja: Para quê?

Dom Estêvão Bettencourt O.S.B.

Em nossos dias há cristãos que professam Jesus Cristo, mas são avessos à Igreja, que eles não frequentam por diversos motivos ou, às vezes, sem motivo algum. Privatizam a sua fé, como se diz.Tal atitude não é cristã. Deriva-se do desconhecimento do que seja realmente o Cristianismo. Com efeito; ser cristão não é simplesmente crer em Deus e valer-se dos benefícios espirituais (reconforto, estímulo...) que o Evangelho proporciona. É crer em Deus como Jesus Cristo O revelou.
Ora o Deus da Revelação cristã é precisamente o Deus da Aliança..., Aliança Antiga travada com os patriarcas, e Aliança Nova, selada pelo sangue do próprio Cristo. Jesus se apresentou como o Mediador da nova e definitiva Aliança. Esta não diz respeito apenas à coletividade, mas refere-se a cada um dos seres humanos. Por conseguinte, ser cristão significa ser membro de um povo com o qual Deus fez Aliança, e participar da vida desse povo.
A Aliança, na Escritura, é comparada à união nupcial: Deus quer ser o Esposo da Filha de Sion (cf. Is 54, 5-7); fazendo-se homem em Jesus Cristo, Ele é o Esposo da Igreja (cf. Ef 5,25-30; 2Cor 11,2); trata-se, pois, de um pacto de amor destinado a transmitir a vida divina aos homens. Ora cada cristão é uma miniatura da Igreja (mikroekklesia); ele comunga com a Igreja e realiza em si uma parcela da Aliança existente entre Cristo e a Igreja.
Jesus, em sua paciente tarefa pedagógica, quis suscitar nos discípulos a consciência dessa grande realidade de viverem em comunhão...: “Não temais, pequeno rebanho...” (Lc 12,32). “Como o Pai me enviou, assim eu vos envio” (Jo 20,21), “Simão, Simão, eis que Satanás pediu insistentemente para vos peneirar como trigo; eu, porém, roguei por ti, a fim de que tua fé não desfaleça. Quanto te converteres, confirma teus irmãos” (Lc 22,31s).
De resto, não poderia ser outro o caminho de crescimento espiritual do cristão. Como seres humanos, fomos feitos para viver em sociedade (família, escola, profissão...), onde encontramos os meios para nos desenvolver e realizar plenamente, saindo de nosso egoísmo. Também assim se processa a nossa santificação: é na Igreja, onde Cristo vive como em seu sacramento primordial, que recebemos a vida divina e o penhor da herança eterna.
As falhas que possamos encontrar em nossos irmãos, não nos surpreendem, visto que ninguém está isento de cometer iguais ou piores. O mistério da Encarnação ou do Deus revelado através do humano se prolonga na vida de cada cristão... Sem isso o Cristianismo é rótulo, é um belo nome esvaziado de seu rico conteúdo.Revista Pergunte e Responderemos – Agosto 1993 – nº 375
Imagem: gentedefe.com/thiagosmcj/

Nenhum comentário: